FAQ’s sobre Padrões Éticos

ICF: PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE OS PADRÕES ÉTICOS 

As perguntas e respostas mais frequentes sobre o Código de Ética da ICF estão organizadas de acordo com os Padrões Éticos relevantes definidos pela ICF. Esta informação é uma tradução adaptada, pelo Comité de Ética do Chapter ICF Portugal, do site da ICF: Ethics / Ethics Resources / Code of Ethics FAQ: https://coachingfederation.org/ethics-faqs

 

Para além das “Ethics FAQs” a equipa que reviu o Código de Ética da ICF preparou um conjunto de declarações interpretativas para apoiar na compreensão de cada um dos 28 Padrões do Código de Ética e na sua aplicação prática, que podem ser consultadas em (Ethics / Ethics Resources / Interpretive Statements):  https://coachingfederation.org/interpretive-statements.

 

O Comité de Ética do Chapter ICF Portugal está disponível para responder a questões adicionais que sejam colocadas pelos membros e comunidade em geral. Para esse efeito, contacte-nos através do email: etica@icf.pt

SECÇÃO I - RESPONSABILIDADE COM O CLIENTE

Padrão 1


Como Coach Profissional da ICF, eu explico e asseguro que, antes da primeira sessão, os meus Clientes e/ou os Patrocinadores de coaching entendem a natureza e valor do coaching, os limites da confidencialidade, as condições financeiras e qualquer outro termo do contrato de coaching.

P: Os meus Clientes perguntam com frequência quanto tempo dura um processo de coaching. Posso indicar um tempo médio de duração?

R: Pode dizer que muitos dos seus Clientes recebem coaching durante X número de sessões ou meses, e que isso varia de acordo com os objetivos individuais e a capacidade de implementação das novas competências.




Padrão 2


Como Coach Profissional da ICF, eu crio um contrato com o(s) meu(s) Cliente(s) e Patrocinador(es) que explica os papéis, responsabilidades e direitos de todas as partes envolvidas, antes de começar a fornecer os serviços.

P: Depois de várias sessões com o meu Cliente, ele começou a cancelar as sessões à última hora. Acho que devia cobrar estas sessões, mas o meu contrato não contempla isso. Posso enviar-lhe uma fatura relativa às sessões canceladas?

R: Se não contratou com o Cliente o pagamento de sessões canceladas, deve honrar o seu acordo original e não cobrar as referidas sessões. No entanto, pode tentar redigir um novo contrato.

P: Quando o meu Cliente começou o coaching, eu cobrava um determinado valor e o Patrocinador pagou essa quantia. O meu Cliente tirou uma licença de três meses e, durante esse período, aumentei o valor dos honorários das sessões. Sinto que é justo pedir ao Patrocinador o valor dos novos honorários.

R: Se o contrato ainda for válido, deve honrar o contrato original assinado com o seu Cliente e Patrocinador. Pode abrir negociações para realizar um novo contrato.

P: Devo ter um contrato para um Cliente de nove anos de idade?

R: Dependendo da legislação local, se o Cliente for menor de idade, o contrato deve incluir o Tutor Legal/Patrocinador e também o Cliente.

P: Quando faço coaching interno, isso é necessário?

R: Sim. Particularmente, nesse caso, o contrato deve estar claro para o Cliente e para o Patrocinador.

P: Devo fazer um contrato com Clientes pro bono que não pagam pelos meus serviços?

R: Sim, porque um contrato envolve mais do que apenas o valor dos honorários. As responsabilidades e expectativas devem estar claramente definidas para que esta seja uma relação de coaching profissional. Para que o contrato seja considerado válido nalgumas jurisdições legais, um montante em dinheiro deve ser transferido de quem recebe os serviços para quem os entrega (por exemplo, 1 Euro).




Padrão 3


Como Coach Profissional da ICF, eu mantenho o mais elevado padrão de confidencialidade com todas as partes. Eu tenho consciência e concordo com todas as leis aplicáveis no tratamento dos dados pessoais e na comunicação.

P: Durante uma entrevista para um projeto de investigação (ou artigo de jornal ou evento nos media), o entrevistador pergunta-me a quantas mulheres executivas eu fiz coaching e em que países, e se podia ter acesso a essa informação para fazer um contacto de acompanhamento. Posso dar-lhe essa informação?

R: Pode fornecer informações que nunca possam ser rastreadas até ao Cliente, como quantas e em que país. Isso cumpre o princípio do anonimato. Você não pode dar informação de contacto sem o consentimento do Cliente. Se incluiu a partilha do contacto no contrato inicial, tudo bem; caso contrário, tem de contactar com os seus Clientes e / ou Patrocinadores ou ex-Clientes e / ou seus Patrocinadores e pedir o consentimento.

P: Um colega perguntou-me quais as empresas de tecnologia da informação em que tive Clientes. Posso dizer? Posso mencionar o nome dessas empresas no meu website?

R: Esta questão é muito complexa. Além da confidencialidade, pode ter implicações legais de violação de direitos de autor. O contrato com o Cliente e com o Patrocinador deve ser específico quanto à possibilidade de uso do nome deles. Esteja consciente de que os contratos do seu Cliente e / ou Patrocinador podem incluir termos relacionados com esse assunto. A melhor prática para manter um bom relacionamento com o Cliente é solicitar o consentimento do Cliente e / ou Patrocinador para usar o seu nome e / ou logotipo, se isso não estiver explicitamente declarado no vosso contrato.

P: É aceitável ter visível, na minha secretária ou na receção do escritório, a minha agenda que inclui os horários das sessões com Clientes?

R: Não, porque qualquer pessoa que passe por perto pode ler os nomes dos seus Clientes.

P: Posso usar Clientes antigos como referência para novos Clientes potenciais?

R: Sim, mas só se tiver o consentimento expresso do Cliente ou Patrocinador para fazê-lo. Pode assim fornecer ao Cliente potencial as informações de contacto (específico) desse antigo Cliente.

P: O meu Cliente pergunta se conheço alguém que trabalhe em gestão de retalho para que possa contactá-lo na procura de emprego nessa área. Ele quer informações de contacto. Alguns dos meus antigos Clientes seriam perfeitos para ele. Posso dar-lhe os nomes e informações de contacto?

R: Não, sem o consentimento dos antigos Clientes.

P: O consentimento verbal para quebra de sigilo é aceitável ou devo obtê-la por escrito?

R: Por escrito é mais seguro e irrefutável.

P: Estou a fazer coaching à Joana. Uma colega dela, Alice, pede-me para ser seu coach. Preciso informar Alice de que já sou coach da Joana?

R: Não, não precisa. A menos que tenha o consentimento de Joana, nem pode mencioná-lo. No entanto, esteja consciente de que isso pode representar um conflito com a confidencialidade. Potenciais conflitos devem ser esclarecidos com cada uma das partes.




Padrão 4


Como Coach Profissional da ICF, eu tenho um entendimento claro sobre como as informações são trocadas entre as partes envolvidas durante todas as interações de coaching.

P: O Departamento de RH está a pagar os meus serviços de coaching para seis Clientes, tendo assinado o contrato como Patrocinador. O Departamento de Contabilidade precisa de informações sobre quantas sessões planeio vir a fazer, para que possam incluir no orçamento do próximo ano. Posso fornecer essas informações à Contabilidade?

R: Recomenda-se que essas informações sejam obtidas diretamente com o Patrocinador.

P: Em seguida, a Contabilidade deseja saber em que departamentos os meus Clientes trabalham. Posso fornecer essas informações à Contabilidade?

R: Recomenda-se que essas informações sejam obtidas diretamente com o patrocinador.

P: Agora eles também querem os nomes dos Clientes. Posso fornecer essas informações à Contabilidade?

R: Recomenda-se que essas informações sejam obtidas diretamente com o Patrocinador. Eventualmente, pode fornecer essas informações somente com o consentimento do Cliente e do Patrocinador.

P: Uma avaliação de 360º foi realizada por um Fornecedor Externo. Fui contratado para fazer coaching a uma Equipa de Gestores usando essa informação. A primeira etapa é desenhar um plano de desenvolvimento para cada membro da equipa e para a equipa como um todo. Os RH querem saber quais os objetivos de coaching definidos para incluírem no seu estudo interno de produtividade. Posso partilhar os objetivos definidos com meus Clientes aos RH?

R: Idealmente, isso deveria estar incluído no contrato de coaching definido. Senão, pode ser fornecido com o consentimento prévio do Cliente e do Patrocinador.

P: Estou a fazer coaching a um rapaz de 12 anos e o seu pai telefona-me para perguntar como está a correr o processo. Posso falar com ele sobre o processo em termos gerais?

R: Somente se o seu Cliente concordar ou já tiver previsto no contrato que os três assinaram.

P: O Supervisor do meu novo Cliente tem um objetivo de coaching que ele não quer que o Cliente conheça. Estou a ser pago pelo orçamento do Supervisor. Posso guardar esta informação do meu Cliente?

R: Isso configura um conflito ético. Como pode fazer coaching a alguém sem estar claro e acordado qual o âmbito do coaching? O que estiver no contrato que os três assinaram é o que é aceitável.

P: Posso fazer coaching a um Cliente empresarial que tem alguns objetivos pessoais que não foram partilhados com o seu Patrocinador?

R: O coaching de objetivos pessoais é parte integrante de todo coaching profissional. O que quer que seja declarado no contrato, estabelecerá o que pode ser partilhado.




Padrão 5


Como Coach Profissional da ICF, eu tenho um entendimento claro com Clientes, Patrocinadores ou partes interessadas sobre as condições nas quais as informações não se manterão confidenciais (ex.: atividades ilegais, se exigido por lei, relativas a ordens judiciais ou intimações; risco iminente ou provável de perigo para mim ou para outros, etc.). Nas situações em que eu acredite que as circunstâncias acima descritas são aplicáveis, provavelmente deverei informar às autoridades.

P: Numa formação de coaching, depois dos alunos terem praticado coaching entre si, todo o grupo se reuniu para partilhar experiências. Um dos alunos de coaching menciona informações pessoais, que foram partilhadas no contexto do grupo, sem ter perguntado ao outro aluno se podia partilhar. Isto é aceitável, porque se trata apenas de formação e não de verdadeiro coaching com Clientes reais?

R: Não é aceitável, a menos que haja regras de confidencialidade acordadas com antecedência para permitir isso. As regras devem ser explícitas sobre quando, porquê e como as informações confidenciais podem ser partilhadas. As regras também devem ser específicas quanto à confidencialidade e / ou anonimato.

P: Comento com um colega formador de coaching, um facto que descobri e que me preocupa sobre a saúde de um dos alunos de coaching. O meu colega vai falar diretamente com o aluno e pergunta-lhe se o pode ajudar. Isso é uma violação da confidencialidade?

R: Isso depende da política de confidencialidade em vigor na formação. Esse acordo tem de ser partilhado por formadores e alunos. Pode permitir a partilha para fins de formação.




Padrão 6


Como Coach Profissional da ICF, eu tenho um contrato de coaching e mantenho um diálogo contínuo quando estiver a atuar como Coach Interno, a gerir conflitos de interesse ou potenciais conflitos de interesse com o(s) meu(s) Cliente(s) e/ou Patrocinador(es). Este contrato deve incluir os perfis organizacionais, responsabilidades, forma de registos, confidencialidade e outras exigências de relatórios.

P: Como posso garantir que não haja mal-entendidos entre as partes envolvidas?

R: O que quer que seja determinado pela sua organização, certifique-se de que todas as partes têm conhecimento do contrato / acordo e estão conscientes de toda a dinâmica do relacionamento para garantir transparência.




Padrão 7


Como Coach Profissional da ICF, eu em conformidade com as leis e contratos aplicáveis, mantenho, armazeno e disponho de quaisquer registos, incluindo arquivos eletrónicos e comunicação eletrónica criados durante a minha interação profissional de modo a promover a confidencialidade, segurança e privacidade. Além disso, procuro utilizar de maneira adequada, todos os desenvolvimentos tecnológicos emergentes e crescentes que estejam a ser usados em serviços de coaching (serviços de coaching assistidos por tecnologia) e ter consciência de como os diferentes padrões éticos se aplicam a cada um deles.

P: Tenho de fornecer registos de Clientes em caso de intimação ou reclamação ética?

R: Isso varia de acordo com o país e a legislação, mas geralmente sim. Considere cuidadosamente o que coloca nos seus registos.

P: Quanto tempo tenho para manter os registos do Cliente?

R: Não há, de momento, diretrizes da ICF. Deve verificar as leis e regulamentos locais e nacionais para obter as diretrizes de conformidade. Se for auditado por questões fiscais, certifique-se de proteger a confidencialidade.

P: Como devo eliminar os registos?

R: O melhor que puder, você deve eliminar todos os registos on-line e eletrónicos, bem como destruir (triturar) os registos em papel.




Padrão 8


Como Coach Profissional da ICF, eu mantenho-me atento(a) a sinais que indiquem uma mudança nos valores da relação de coaching. Caso haja, faço mudanças no relacionamento ou incentivo os meus Cliente(s)/Patrocinador(es) a procurar outro Coach, outro profissional ou usar um recurso diferente.

Não há, de momento, perguntas frequentes associadas ao Padrão Ético 8.




Padrão 9


Como Coach Profissional da ICF, eu respeito os direitos de todas as partes ao rescindir a relação de coaching em qualquer momento, por qualquer razão durante o processo de coaching, sujeito às disposições específicas do contrato.

P: O meu Cliente pagou integralmente as 10 sessões de coaching contratadas. Depois de seis sessões, o Cliente quer parar o processo. Diz que quer o dinheiro de volta porque não recebeu o valor que esperava. Tenho de devolver o dinheiro?

R: Se não esclareceu previamente, o que pode acontecer nestas circunstâncias, deve analisar o assunto com o Cliente. Você pode tentar negociar com o Cliente o pagamento dos serviços prestados até o momento. Seria aconselhável devolver o valor restante dos serviços prestados até ao momento, o valor total menos os custos administrativos ou o valor total. Use o bom senso e lembre-se de que a forma como lidar com esta situação vai afetar a sua reputação.




Padrão 10


Como Coach Profissional da ICF, eu entendo as possíveis consequências de ter vários contratos e relacionamentos com um mesmo Cliente(s) e/ou Patrocinador(es) ao mesmo tempo e tento evitar situações de conflito de interesses.

Não há, de momento, perguntas frequentes associadas ao Padrão Ético 10.




Padrão 11


Como Coach Profissional da ICF, eu tenho consciência e faço uma gestão ativa de qualquer diferença de poder ou status entre mim e o Cliente que poderá causar algum problema cultural, relacional, psicológico ou contextual.

Não há, de momento, perguntas frequentes associadas ao Padrão Ético 11.




Padrão 12


Como Coach Profissional da ICF, eu comunico aos meus Clientes a possibilidade de serremunerado, ou outros benefícios, que possa vir a receber por indicar aos meus Clientes outros profissionais terceiros.

P: Estou a fazer coaching a alguém que precisa de um serviço. Eu conheço um prestador para esse Cliente e irei receber uma comissão de referência desse prestador. Devo divulgar isso ao Cliente?

R: Sim, precisa informar o Cliente.

P: Recebi uma prenda surpresa, bilhetes para um jogo de futebol, da minha consultora imobiliária depois de lhe encaminhar um Cliente. Devo dizer ao meu Cliente que recebi esses bilhetes?

R: Se a prenda não foi antecipada e acontece depois do encaminhamento ter sido feito, não é necessária nenhuma divulgação.

P: Se eu tiver um negócio de marketing multinível, posso vender o meu produto para os meus Clientes de coaching?

R: A relação de coaching pode ser prejudicada se vender outros produtos ao Cliente, pois o Cliente pode sentir uma pressão indevida para a compra.




Padrão 13


Como Coach Profissional da ICF, eu asseguro em qualquer relacionamento coaching de qualidade, consistente, independentemente do valor ou forma de remuneração.

P: Uma Cliente diz que não tem dinheiro para pagar meus serviços de coaching e pede uma permuta de serviços. Ela acredita que não consegue ganhar dinheiro suficiente para pagar as coisas que deseja. Esta crença da Cliente pode prejudicar a relação de coaching?

R: Pode, por isso precisa explorar mais este tema com a Cliente, antes de um acordo final.

P: Posso cobrar honorários diferentes para Clientes diferentes dependendo das circunstâncias (por exemplo: Clientes Corporativos, Amigos, Família)?

R: Sim. A melhor prática inclui ter uma tabela de honorários que defina sua estrutura de preços. Isso dá transparência. Lembre-se de que quanto mais escalões de honorários tiver, mais complicada será a gestão do seu negócio.





SECÇÃO III – RESPONSABILIDADE COM O PROFISSIONALISMO

Padrão 20


Como Coach Profissional da ICF, eu identifico de maneira precisa as minhas qualificações de coaching, o meu nível de competência, especialização, experiência, formação, certificações e Credenciais da ICF em coaching,

P: Fiz coaching a dois executivos, posso dizer que sou um Coach executivo experiente?

R: Isso pode ser enganoso. Talvez dizer “Fiz coaching a executivos” seja mais apropriado. No entanto, alguém que fez coaching a dois executivos por um período alargado de tempo, pode ter experimentado muitos assuntos. Parece ser um julgamento pessoal.




Padrão 21


Como Coach Profissional da ICF, eu faço declarações verbais e por escrito que são verdadeiras e precisas sobre o que ofereço como Profissional ICF, o que é oferecido pela ICF, a profissão de coaching e o valor do coaching.

P: Tenho um mestrado em comunicação. Posso colocar isso no meu website de coaching e apenas dizer que tenho um mestrado?

R: Quaisquer diplomas e credenciais que escolha colocar no seu website devem indicar claramente o grau que corresponde a qual profissão, para que as informações apresentadas não sejam enganosas. Por exemplo, um mestrado em comunicação é uma declaração clara, enquanto um mestrado por si só pode induzir o leitor a pensar que é em coaching.

P: Faço coaching há muitos anos e tenho recolhido dados sobre a taxa de sucesso dos meus Clientes. Posso partilhar esses resultados com Clientes potenciais?

R: Não há problema em partilhar dados apropriados e precisos, sem melhorias ou distorções e sem garantias de qualquer tipo. O Cliente potencial pode tirar as suas próprias conclusões. Certifique-se de manter todos os dados confidenciais quanto à identificação dos Clientes.




Padrão 22


Como Coach Profissional da ICF, eu comunico e sensibilizo todos que necessitem ser informados das responsabilidades éticas estabelecidas neste Código.

P: E se um Cliente não obtiver os resultados desejados no final do coaching?

R: O objetivo de coaching não é apenas para o Cliente obter resultados. Explique ao cliente no início (e talvez mais vezes) que o coaching inspira as pessoas a maximizar o seu potencial, aprendendo e aumentando a consciência no processo e a capacidade de resposta. É responsabilidade do Cliente obter os resultados, o Coach está lá para ajudá-lo a alcançar os resultados, fazendo perguntas poderosas para que os Clientes tenham mais consciência e façam algo com essa tomada de consciência.




Padrão 23


Como Coach Profissional da ICF, eu tenho a responsabilidade e consciência para estabelecer limites claros, adequados e culturalmente sensíveis que regem as minhas interações, sejam elas físicas ou de outro tipo.

P: Posso dar um abraço ao meu Cliente após as sessões?

R: O Coach é responsável por definir e respeitar os limites físicos culturalmente apropriados, o que inclui sensibilidade aos limites e expectativas do Cliente. Se o Cliente iniciar, o Coach pode escolher retribuir ou não. O Coach não pode tomar a iniciativa de dar um abraço.

P: Sei muito sobre nutrição, dietas e vitaminas e o meu Cliente tem como objetivo saber mais sobre nutrição. Posso partilhar com ele o que sei?

R: Mais apropriado do que fornecer informações, seria encorajá-lo a procurar um especialista ou consultor formado nessa área. Recomendar um nutricionista profissional, websites, literatura, livros, tudo seria aceitável.

P: O meu Cliente quer explorar como os seus relacionamentos anteriores formaram as suas crenças sobre os relacionamentos atuais. Sou licenciada em psicologia e aprendi muito sobre esse assunto. Posso dedicar tempo a fazer coaching nesse tema?

R: Se não for um psicólogo ou psicoterapeuta, não é apropriado trazer essas informações para o processo de coaching e deve encorajar o seu Cliente a encontrar outro profissional para ajudá-lo. Se tiver formação, pode considerar a possibilidade de criar um acordo separado para lidar com isso após o término da sua relação de coaching. Embora você possa ser suficientemente claro na diferenciação de papéis, provavelmente seria confuso para o Cliente tê-lo como terapeuta e coach, mesmo que não ao mesmo tempo.




Padrão 24


Como Coach Profissional da ICF, eu não tenho nenhum relacionamento sexual ou romântico com Cliente(s) ou Patrocinador(es). Tenho e terei sempre consciência do nível de intimidade adequado para um relacionamento de coaching. Tomarei a ação adequada para abordar a questão ou cancelar o compromisso se necessário.

P: Isso significa que não posso fazer coaching ao meu cônjuge, parceiro ou outra pessoa importante?

R: Fazer coaching ao seu cônjuge / parceiro / outra pessoa importante pode criar oportunidades para conflitos de interesse, bem como problemas de confidencialidade, não é recomendado fazê-lo, a menos que tenha a absoluta certeza de que as memórias passadas, coisas que você sabe sobre seu cônjuge / parceiro / outra pessoa importante não interferirá no seu desempenho como profissional de coaching. Um novo nível de intimidade não pode ser iniciado durante um processo de coaching. Por exemplo, um processo de coaching deve terminar se começar a namorar alguém a quem está a fazer coaching, e que correspondeu ao pedido.

P: Se um Cliente me convidar para um evento social, posso aceitar?

R: Aceitar o convite seria apropriado se:

  • O Coach e o Cliente pensam que a relação de coaching não será prejudicada,
  • O Coach permanecer objetivo nas sessões de coaching.

Se, no entanto, o Coach achar difícil manter os limites de um processo de coaching com o Cliente, então o Coach tem a opção de encerrar o processo e encaminhar o Cliente para outro Coach. Uma boa diretriz é que qualquer que seja a natureza do relacionamento antes do início do coaching, ela deve permanecer durante toda a duração do acordo de coaching.





SECÇÃO IV - RESPONSABILIDADE COM A SOCIEDADE

Padrão 25


Como Coach Profissional da ICF, eu evito a discriminação ao manter igualdade e justiça em todas as atividades e operações, e ao mesmo tempo respeito as regras e práticas culturais locais. Isso inclui, entre outros, discriminação com base em idade, raça, expressão de gênero, etnia, orientação sexual, religião, origem, deficiência ou situação militar.

P: Como posso entender melhor o que determina discriminação ao fazer coaching a Clientes?

R: Consulte a legislação nacional para determinar o que é considerado discriminação na sua área.




Padrão 26


Como Coach Profissional da ICF, eu reconheço e honro as contribuições e a propriedade intelectual de outros, apenas reivindicando posse do meu próprio material. Reconheço que o incumprimento desse padrão poderá sujeitar-me a implicações legais impostas por terceiros.

P: Já trabalhei com um parceiro de negócios no passado e agora estou sozinho. Posso usar as ferramentas e os documentos que criamos quando estávamos juntos?

R: A resposta correta é aquela que você e seu ex-parceiro de negócios concordaram. Se não houver um acordo específico, discuta-o antes de fazê-lo para evitar um conflito desnecessário.

P: Encontrei um excelente questionário de 20 itens usado para atrair Clientes no website de outro Coach. Posso usar algumas das perguntas no meu website sem permissão?

R: Não, não pode usá-los sem obter consentimento.

P: Desejo fornecer documentação sobre a eficácia do coaching a uma empresa que pode comprar os meus serviços. Encontrei dois artigos que mostram o elevado ROI (Return On Investment) que o coaching pode trazer. Preciso entrar em contacto com o autor ou editor para usar alguns dos pontos na minha apresentação de marketing?

R: Sim, precisa.




Padrão 27

Como Coach Profissional da ICF, eu sou honesto e trabalho dentro dos padrões científicos reconhecidos, diretrizes aplicáveis e limites da minha competência quando estiver a conduzir uma investigação.

P: Isso significa que devo realizar investigação como Coach da ICF?

R: Embora encorajemos a formação contínua, você não é obrigado a fazer investigação. Se o fizer, é imperativo que seja de elevada qualidade, portanto, certifique-se de seguir métodos / procedimentos científicos reconhecidos e cumprir a legislação do país.




Padrão 28


Como Coach Profissional da ICF, eu tenho consciência do meu impacto e do impacto dos meus Clientes na sociedade. Eu sigo a filosofia de "fazer o bem", em vez de "evitar o mal".

Não há, de momento, perguntas frequentes associadas ao Padrão Ético 28.





SECÇÃO IV - RESPONSABILIDADE COM A SOCIEDADE

Padrão 25


Como Coach Profissional da ICF, eu evito a discriminação ao manter igualdade e justiça em todas as atividades e operações, e ao mesmo tempo respeito as regras e práticas culturais locais. Isso inclui, entre outros, discriminação com base em idade, raça, expressão de gênero, etnia, orientação sexual, religião, origem, deficiência ou situação militar.

P: Como posso entender melhor o que determina discriminação ao fazer coaching a Clientes?

R: Consulte a legislação nacional para determinar o que é considerado discriminação na sua área.




Padrão 26


Como Coach Profissional da ICF, eu reconheço e honro as contribuições e a propriedade intelectual de outros, apenas reivindicando posse do meu próprio material. Reconheço que o incumprimento desse padrão poderá sujeitar-me a implicações legais impostas por terceiros.

P: Já trabalhei com um parceiro de negócios no passado e agora estou sozinho. Posso usar as ferramentas e os documentos que criamos quando estávamos juntos?

R: A resposta correta é aquela que você e seu ex-parceiro de negócios concordaram. Se não houver um acordo específico, discuta-o antes de fazê-lo para evitar um conflito desnecessário.

P: Encontrei um excelente questionário de 20 itens usado para atrair Clientes no website de outro Coach. Posso usar algumas das perguntas no meu website sem permissão?

R: Não, não pode usá-los sem obter consentimento.

P: Desejo fornecer documentação sobre a eficácia do coaching a uma empresa que pode comprar os meus serviços. Encontrei dois artigos que mostram o elevado ROI (Return On Investment) que o coaching pode trazer. Preciso entrar em contacto com o autor ou editor para usar alguns dos pontos na minha apresentação de marketing?

R: Sim, precisa.




Padrão 27

Como Coach Profissional da ICF, eu sou honesto e trabalho dentro dos padrões científicos reconhecidos, diretrizes aplicáveis e limites da minha competência quando estiver a conduzir uma investigação.

P: Isso significa que devo realizar investigação como Coach da ICF?

R: Embora encorajemos a formação contínua, você não é obrigado a fazer investigação. Se o fizer, é imperativo que seja de elevada qualidade, portanto, certifique-se de seguir métodos / procedimentos científicos reconhecidos e cumprir a legislação do país.




Padrão 28


Como Coach Profissional da ICF, eu tenho consciência do meu impacto e do impacto dos meus Clientes na sociedade. Eu sigo a filosofia de "fazer o bem", em vez de "evitar o mal".

Não há, de momento, perguntas frequentes associadas ao Padrão Ético 28.